DEFINIÇÃO DA UPARS

Adylson Godoy - Presidente
Há tempos acompanho a programação musical de São Paulo e observei o pouco aproveitamento de artistas com carreira consolidada, de pelo menos 35 anos de trabalho e outros com mais de 50 anos de trabalho que lutam para conseguir ser lembrados pelos produtores musicais.

O Brasil possui grandes nomes que construíram uma notável carreira como solistas e improvisadores que atualmente não encontram espaço expressivo no mercado cultural.

Justiça seja feita ao SESC que ainda olha com carinho para a faixa etária acima de 50 anos, exemplo disso, o projeto que participei como pianista numa homenagem ao grande saxofonista Casé, onde músicos com mais de 40 anos de carreira no mínimo participaram.

Daí surgiu a ideia de criar a UPARS, com o objetivo de obter recursos para a produção de shows destes artistas junto a organismos públicos e privados.

No início foi difícil, levei três anos para encontrar alguém que apoiasse o projeto, mas finalmente encontrei apoio na Ordem dos Músicos do Brasil, através de seu presidente prof. Roberto Bueno, e hoje temos a adesão de quase 100 artistas e já estamos em fase avançada de implantação, várias reuniões prévias já vêm acontecendo na sede da OMB-CRESP, contando com o apoio da classe musical sênior, onde estamos construindo juntos, o estatuto da UPARS.

Nós não temos um projeto político musical, nossa ação é proteger a cultura que construiu a base do que hoje existe não só no campo da composição, mas também no campo instrumental e lítero-musical.